20 de abril de 2011

Silenciais Doloridos

Bilhete 1

Não sei quando você virá, como virá, nem sei ao menos se virá,
mas eu espero. E não se atreva dizer que isso em mim vai passar.
Acredite: esse teu sorriso torto me renova a vontade
de te ter pra sempre, nem que seja de mentirinha.
Mesmo que um outro alguém apareça pra mim.
Tem uma parte sua imortal em mim, e outra minha, em você.

(na estante)


Bilhete 2

Te fiz versos que não posso publicar,
e tenho sentimentos que não posso te dizer.
Então eu vou escapando por aqui, porque se não,
é capaz de eu sair correndo pra te falar tudo,
e roubar todos os beijos que você ficou me devendo.
E isso não dará nada certo.


(no espelhinho do banheiro)


Bilhete 3

A madrugada está cheia de frio, silêncio e poesia.
E eu, de você.

(na cabeceira da cama)


Bilhete 4

No cantinho da sala, na canção que
tocou, no rosto das outras pessoas, em mim.
Hoje tem tanto você aqui que
estou buscando um escape. Preciso me encontrar,
para não me perder de você.
(na porta do quarto)




Mas ele não recebeu nenhum. Guardei todos naquela caixinha,
onde tem outro monte de coisa dele. Fotos, objetos e sorrisos.

3 comentários:

Idiótica. disse...

Que meigo, o ruim é que não tem um final feliz. Ele deveria receber esses bilhetinhos rs..
Amei seu blog.

Larissa Airoldi disse...

Deveria receber mesmo.
Sentimentos puros demais pra ficar guardados em caixas.
Blog lindo!

Dona do Blog disse...

Adorei seu Blog linda! Parabêns viu!
bjs!